Doutoramento em Estudos Clássicos

Teses defendidas

 

Maria Fernanda Matos Amaro Brasete, O Prólogo na tragédia euripidiana. Universidade de Aveiro, 2001.

 

Orientadores: Manuel de Oliveira Pulquério e Telmo Verdelho

 

Resumo: Na tragédia euripidiana, o prólogo tem constituído, desde a crítica aristofânica até aos nossos dias, um locus classicus de controvérsia e discussão. O centro da problemática gravita em torno da variedade formal e da multiplicidade de funções que a ‘primeira parte’ da tragédia granjeou nas peças do último grande poeta trágico ateniense. Na poiesis da tragédia euripidiana o prologos, enquanto espaço liminar do drama, é estrategicamente explorado como o primeiro  momento de construção do mythos trágico, revelando um  processo poético-teatral laborioso que enquadra a configuração dramática da acção na estrutura tradicional do género, e princípios técnico-compositivos adequados às exigências específicas de um género vocacionado para o teatro.

 

 

ABSTRACT: In Euripidean tragedy, the prologue has represented, since Aristophanic critic up to the present, a locus classicus of controversy and discussion. The questions raised concerned the formal variety and the multiplicity of functions assigned to the “first part” of the tragedy, in the works of the last great Atnenian tragic poet. Within the poiesis of Euripidean tragedy, the prologos, regarded as the dramatic threshold, is strategically exploites as the first stage of the construction of the tragic mythos, thus revealing a laborious poetic process that aims to frame the dramatic configuration of the action within the tradicional genre structure, and to seek to reconcile their composicional principles to the specific requirements of a theatrically oriented genre.

 

Área de Estudos Clássicos

Hit Counter